Julia Santos vence Sea Flowers

Julia Santos vence Sea Flowers

102
SHARE

Após um pouco mais de três meses de competições, o SeaFlowers Digital chegou ao fim e a santista Julia Santos foi anunciada como a grande campeã, que disputou final com a surfista Pro Junior Julia Camargo. Lançado no dia 09 de novembro de 2017, o campeonato digital criado por Marina Werneck foi um sucesso.

Julia Santos é campeã do Sea Flowers. Foto: Instagram @juliasantos1

Foram milhares de votos e compartilhamentos, 160 participantes, 18 classificadas, grandes nomes do surf mundial participando como jurados e divulgando, entre eles Silvana Lima, Carissa Moore, Tati West, Teco Padaratz, Jessy Miley-Dyer, além do ídolo Neymar Jr. que também compartilhou a final nas suas redes sociais.

Julia Santos. Foto: Instagram @juliasantos1

De acordo com Marina Werneck, todas as concorrentes tinham um potencial muito grande, tanto de performance de surfe quanto em influência. Ela conta que metade das concorrentes tinham entre 9 e 16 anos e todas eram muito talentosas e grandes promessas da nova geração.

A campeã mostrou alto nível de surf. Foto: Instagram @juliasantos1

“A campeã mostrou um nível de surf altíssimo, um talento para integrar a elite mundial com uma linha bem completa de manobras de linha, manobras radicais e inovadoras como os aéreos que é um super diferencial entre as meninas. Não vejo a hora de surfar com ela e vê-la tendo bons resultados nos eventos femininos do circuito mundial no Brasil esse ano”, pontua. 

Marina Werneck, idealizadora do Sea Flower. Foto: Divulgação

As interessadas deveriam publicar um vídeo através do seu Instagram pessoal e seguir algumas regras que estavam relacionadas nas redes e site oficiais da freesurfer. A avaliação de cada competidora era feita por jurados técnicos e votação popular.

A surfista Pro Junior Julia Camargo é a vice-campeã. Foto: Sebastian Rojas

“A primeira edição do Seaflowers digital superou minhas expectativas. Foram diversas meninas do país inteiro participando da triagem. Meninas de diferentes idades, modalidades e níveis de surf. Foi demais! Fiquei super feliz em ver a força da torcida e a quantidade de pessoas votando. Que movimento em pró do surf feminino!”, comemora a idealizadora do projeto. 

Julia Camargo é uma grande promessa do surf profissional. Foto: Instagram @juliacamargo

Marina Werneck reafirma que o foco dela, atualmente, está em trazer de volta os campeonatos e os festivais de surfe feminino. Criar conteúdo, influenciar o mercado através de ativações digitais e, principalmente, motivar meninas e mulheres a surfar, viverem o lifestyle do surfe e acreditarem na carreira profissional.

Julia esteve no Hawaii para treinar. Foto: Sebastian Rojas

E foi dessa motivação que surgiu a ideia de criar o Seaflowers Digital, um campeonato digital com o objetivo de movimentar o surf feminino de forma criativa e revelar grandes talentos. “Estou muito feliz em proporcionar visibilidade e oportunidades para novos nomes e talentos da nova geração do surf feminino, esse é um dos meus principais objetivos com o Seaflowers. Além da união do surf feminino!”.

Marina Werneck em ação. Foto: Divulgação

E essa motivação e iniciativa já estão rendendo os seus frutos. “Já conhecia a Marina da época em que ela ainda era competidora, mas nunca havíamos tido contato pessoalmente. Quando ela organizou o campeonato feminino no QS da Praia do Forte, em maio de 2016, passei a ter uma grande admiração pelo empenho dela em reerguer o surf feminino e valorizar a modalidade como ela merece”, relembra Julia Santos que se emociona com a relevância desse título.

Marina incentiva o surf feminino. Foto: Reprodução

“Nunca tive muito apoio com relação ao surfe. Sempre sonhei viver profissionalmente do esporte, e confesso que no ano passado passei por uma crise, que realmente pensei em desistir. Me perguntava o que havia de errado comigo. Essa vitória tem um significado muito especial pra mim, porque fez com que eu retomasse a esperança”.

A competição on-line Sea Flowers foi um sucesso. Foto: Reprodução

Julia conta que ficou sabendo da competição através de um amigo que mandou a novidade via WhatsApp. “Sempre acreditei que tinha chance, mas o fato de ser um campeonato virtual me deixou um pouco insegura, afinal nunca havia participado de um. O mais difícil foi me acostumar com o julgamento baseado em uma performance em vídeo, mas, por outro lado, foi muito emocionante ver o carinho e empenho de amigos, familiares e muita gente que eu nem conheço torcendo, votando, compartilhando nas redes”, conta.

Marina comemora os resultados da competição. Foto: Reprodução

Nas redes sociais os números foram expressivos, considerando a segmentação do esporte. Ao todo foram mais de 2.4 milhões de views no Facebook e 1.2 milhões no Instagram. A grande campeã ganhou uma Surf Trip para as Ilhas Maldivas, com tudo pago. A viagem, que acontece entre os dias 31 de maio e 09 de junho, será a bordo de um barco de luxo com todo o conforto, exclusividade e estrutura, na companhia de Marina Werneck, do renomado fotógrafo Sebastian Rojas e da equipe de vídeo-makers da produtora Flow Cinema. Ainda há lugares na barca para quem quiser participar da aventura, basta entrar em contato com a Ocean Travel para ter todas as informações.

Line up das Maldivas. Foto: Reprodução

“Mal consigo esperar. Serão meses de ansiedade (risos), mas uma boa ansiedade. Enquanto a viagem não vem, vou focar no meu treinamento físico, na minha alimentação, no emocional e claro no surf. Não quero decepcionar!”, comemora a grande campeã. “Gostaria de agradecer a Marina, e a todos os patrocinadores e apoiadores do projeto, por acreditarem e se esforçarem para divulgar a modalidade que sempre foi tão pouco valorizada no Brasil”, conclui. Inédita no país, a competição contou com o apoio da Hurley, Guaraná Atarctica, New Era, Ocean Travel e NN Consultoria.